A DENGUE

A dengue é uma doença infecciosa, que pode evoluir para formas graves, acometendo bebês, crianças e adultos. Existem quatro sorotipos do vírus da dengue (DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4).1,2

A dengue está presente em mais de 100 países de regiões tropicais e subtropicais e está diretamente relacionada a fatores climáticos, como chuvas, temperaturas mais elevadas, umidade relativa do ar, além de outros fatores, como a crescente urbanização não planejada, globalização, aquecimento global etc. Além do impacto físico, a doença acarreta um importante ônus socioeconômico e impõe um grande desafio para a saúde pública onde está presente.

A dengue é a doença transmitida por vetor que cresce de forma mais rápida no mundo, e sua incidência cresceu dramaticamente nas últimas décadas. Como a grande maioria dos casos é assintomática ou leve e, mesmo os sintomáticos, muitas vezes, não são notificados, os números reais são subnotificados. 1

QUAIS OS SINTOMAS DA DENGUE1


Devemos suspeitar de infecção por dengue quando o paciente apresentar febre alta (> 38°C) acompanhada por pelo menos dois dos seguintes sintomas:

Dor atrás dos olhos

Manchas vermelhas na pele

Náusea e vômito

Glândulas inchadas

Dor de cabeça severa

Dores musculares e articulares

Dengue grave1

É diagnosticada quando o paciente entra na chamada fase crítica, cerca de 3 a 7 dias após o início dos sintomas. A dengue grave é uma complicação potencialmente fatal em razão do vazamento de plasma, acúmulo de líquido, dificuldade respiratória, sangramento grave ou comprometimento de órgãos.

Sinais de alerta que sugerem potencial complicação para forma grave:

  • Forte dor abdominal.
  • Vômito persistente.
  • Aumento da frequência respiratória
  • Sangramento nas gengivas.
  • Fadiga
  • Agitação.
  • Vômito com sangue.

Como é transmitida


A dengue é transmitida a humanos por meio da picada do mosquito infectado (fêmeas) Aedes aegypti.

Outras espécies do gênero Aedes também podem atuar como vetores, porém desempenham um papel secundário ao  Aedes aegypti. 1,2

Embora o principal meio de transmissão seja por mosquitos vetores, há evidências da possibilidade de transmissão materna, ou seja, de uma mãe grávida com dengue transmitir para seu bebê. 1

Como é o tratamento da dengue


Não existe um tratamento específico para a dengue. As medidas adotadas devem visar o controle dos sintomas. Pacientes com suspeita de dengue devem buscar orientação médica logo ao surgirem os primeiros sintomas da doença. Em casos de dengue grave, o atendimento médico é fundamental para a manutenção do volume de fluido corporal.1

A detecção precoce da progressão da doença e os cuidados médicos adequados podem reduzir as taxas de letalidade da dengue grave para menos de 1%.1

Como prevenir a dengue


Atualmente, a forma mais utilizada para se prevenir contra a dengue é por meio da eliminação de criadouros do Aedes aegypti. Mas, apesar de todos os esforços, essa estratégia tem se mostrado insuficiente para controlar a doença. Isso porque o processo de extinção do mosquito passa necessariamente pelo envolvimento de todas as pessoas que convivem em uma determinada comunidade ou ambiente.1

As formas mais eficazes de eliminar os possíveis focos de reprodução do mosquito são:

Como é realizado o diagnóstico de dengue


Vários métodos podem ser usados para o diagnóstico de infecção por DENV, entre eles:1,2


75% dos casos de dengue são assintomáticos


Existe risco aumentado de desenvolver a forma grave da doença na segunda infecção quando se dá por um sorotipo diferente d a primeira infecção.

Como é transmitida


A dengue é transmitida a humanos por meio da picada do mosquito infectado (fêmeas) Aedes aegypti.

Outras espécies do gênero Aedes também podem atuar como vetores, porém desempenham um papel secundário ao  Aedes aegypti. 1,2

Embora o principal meio de transmissão seja por mosquitos vetores, há evidências da possibilidade de transmissão materna, ou seja, de uma mãe grávida com dengue transmitir para seu bebê. 1

Como é o tratamento da dengue


Não existe um tratamento específico para a dengue. As medidas adotadas devem visar o controle dos sintomas. Pacientes com suspeita de dengue devem buscar orientação médica logo ao surgirem os primeiros sintomas da doença. Em casos de dengue grave, o atendimento médico é fundamental para a manutenção do volume de fluido corporal.1

A detecção precoce da progressão da doença e os cuidados médicos adequados podem reduzir as taxas de letalidade da dengue grave para menos de 1%.1

Como prevenir a dengue


Atualmente, a forma mais utilizada para se prevenir contra a dengue é por meio da eliminação de criadouros do Aedes aegypti. Mas, apesar de todos os esforços, essa estratégia tem se mostrado insuficiente para controlar a doença. Isso porque o processo de extinção do mosquito passa necessariamente pelo envolvimento de todas as pessoas que convivem em uma determinada comunidade ou ambiente.1

As formas mais eficazes de eliminar os possíveis focos de reprodução do mosquito são:

  • Eliminar água parada de garrafas, pratos, copos plásticos, vasos e pneus
  • Manter calhas limpas
  • Manter saídas de água desobstruídas.
  • Tampar ralos.
  • Em casos de obras, estar atento a lonas, carrinhos de mão, betoneiras, lajes, tonéis e fossos de elevadores.

Como é realizado o diagnóstico de dengue


Vários métodos podem ser usados para o diagnóstico de infecção por DENV, entre eles: 1,2

  • Testes virológicos, que detectam diretamente os elementos do vírus.
  • Testes sorológicos, que detectam componentes imunológicos de origem humana que são produzidos em resposta ao vírus.
  • Testes de detecção de antígenos, que detectam a proteína NS1 viral da dengue no sangue.


75% dos casos de dengue são assintomáticos


Existe risco aumentado de desenvolver a forma grave da doença na segunda infecção quando se dá por um sorotipo diferente d a primeira infecção.

DIFERENÇA ENTRE ZIKA VÍRUS, FEBRE CHIKUNGUNYA E DENGUE


Além da dengue, o  Aedes aegypti também é o mosquito transmissor das doenças Zika Vírus e Febre Chikungunya, comumente confundidas com a dengue. Veja como cada uma delas se apresenta e saiba como diferenciá-las: 3

Zika Vírus

Na maioria das vezes, a infecção por Zika é assintomática. Recente no Brasil, tem preocupado, principalmente, as gestantes, por estar associada à ocorrência de microcefalia em recémnascidos. Seus sintomas incluem: febre não muito alta, dor de cabeça, dor nas articulações, conjuntivite, manchas vermelhas no corpo com coceira e cansaço

Chikungunya

A doença começa de forma súbita com febre alta, dor articular intensa com inchaço, dor de cabeça constante e manchas vermelhas no corpo com coceira intensa.

Dengue

Os primeiros sintomas da doença são febre alta de início abrupto, podendo estar associada à dor de cabeça, dor no corpo e nas articulações e presença de manchas vermelhas pelo corpo. 

QUEM ESTÁ EM RISCO3



  • Cidades bastante urbanizadas.

  • Locais onde haja o crescimento urbano desordenado com maior número de imóveis ocupados por borracharias, depósitos de materiais de reciclagem e oficinas mecânicas.

  • Locais com maior quantidade de criadouros, como piscinas, caixas d’água parcialmente tampadas, lixos, garrafas, pneus e sucata a céu aberto.

A susceptibilidade ao Aedes aegypti é universal. Porém, fatores de risco individuais, como idade, etnia, presença de outras comorbidades e infecção secundária podem influenciar na gravidade da doença.

Particularmente, crianças mais novas podem ser menos capazes que adultos de combater os vírus e,  consequentemente, têm maior risco e choque por dengue.

Pessoas que possuem piores condições socioeconômicas e que vivem em lugares com pior qualidade ambiental também podem ser mais susceptíveis, em razão da maior quantidade de criadouros do mosquito

MITOS E VERDADES


A dengue pode ser contraída mais de uma vez?

Verão e época de chuvas aumentam os riscos do vírus?

O mosquito Aedes aegypti só ataca durante o dia?

Alguns produtos são capazes de repelir o mosquito da dengue?

Os casos de dengue se concentram apenas nas regiões mais quentes do Brasil?

Todas as pessoas picadas pelo Aedes aegypti desenvolvem dengue?

IMPACTO NO BRASIL
EM 20204


987.173 casos
(469,8 casos/100 mil hab.)

Centro-Oeste - 197.543 (1.212,1 casos/100 mil hab.)
Sul - 281.786 (940,0 casos/100 mil hab.)
Sudeste - 335.252 (379,4 casos/100 mil hab.)
Nordeste - 150.566 (263,8 casos/100 mil hab.)
Norte - 22.026 (119,5 casos/100 mil hab.)

Número de casos de dengue grave (DG) - 826
Número de casos de dengue com sinais de alarme (DSA) - 9.072

554
Número de óbitos por dengue
456 (82,3%) por critério laboratorial
97 (17,6%) por clínico-epidemiológico

79% dos casos
Sorotipo predominante
DENV-2

Referências




  1. World Health Organization - OMS. Disponível em https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/dengue-and-severe-dengue. Acessado em 06/2021.

  2. Niyati Khetarpal. Dengue Fever: Causes, Complications, and Vaccine Strategies. J Immunol Res. 2016; 2016: 6803098

  3. Ministério da Saúde. Disponível em https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/combate-ao-aedes. Acessado em 06/2021.

  4. Boletim Epidemiológico 03. Secretaria de Vigilância em Saúde. Ministério da Saúde. Volume 52. Janeiro/2021.